Compartilhe

Autoconhecimento é a chave para quem deseja apostar em uma nova carreira

Veja as dicas da coach ontológica, Karin Brigitte Guth e encare 2016 com uma nova profissão


 

 

No último dia 04 de janeiro, foi dada a largada (oficialmente) para o novo ano. E, também, é chegada a hora de colocar em prática todas as metas pensadas na virada do dia 31 de dezembro de 2015 para o dia 1º de janeiro de 2016.

Ao fazer os pedidos para os próximos 12 meses, muitos desejaram paz, amor, harmonia e... um novo trabalho. Um novo emprego que pode implicar, até mesmo, em uma guinada de 360º na vida profissional.

Na lista de alteração de rota para o futuro, muitas vezes, a mudança de carreira está no topo. Mas, como executar a transformação? Por onde começar? Qual caminho adotar? Para contribuir com a sua “virada de jogo”, o Portal Mulher Executiva buscou alguém, cujo medo de mudar passa longe do seu destino.

Karin Brigitte Guth estudou jornalismo, é fotógrafa, foi proprietária de um restaurante por 11 anos (1982-1993), idealizou e apresentou o Programa Filosofia de Vida (TV Alphaville), é terapeuta corporal Do In e Tuiná, esteve no cargo de diretora de Exportação da Empresa Erwin Guth Ltda por 15 anos, é consultora na área de exportação para empresas iniciantes e chef em domicílio (realiza almoços/jantares para grupos, empresas e famílias).

Muito dessa minha facilidade em mudar de carreira e desse meu lado camaleão vem dos meus pais”, conta a filha de alemães, que chegaram ao Brasil em 1955. Além de todas as atividades já citadas, ela é coach ontológica - linha de coaching filosófica que analisa o ser humano como um todo – e palestrante motivacional, atuante nas áreas de treinamento, gestão de pessoas e desenvolvimento humano (Uffa...). 

Em uma agradável conversa, realizada no bairro de Higienópolis, na Capital Paulista, Karin Brigitte Guth traz recomendações valiosas para quem deseja investir em uma nova carreira. Confira!

Medo da transformação

O medo é um instinto básico de sobrevivência e aparece de acordo com o quanto você o alimenta. Mas, esse sentimento não pode te brecar e fazer com que você abra mão das grandes evoluções. O temor de mudar de carreira não pode aumentar conforme a sua idade. Eu, por exemplo, assumi a posição de Coach há um ano e, hoje, tenho 56 anos. Nessa idade, muita gente acha que não tem mais possibilidade de emprego”, revela a profissional.

Autoconhecimento é tudo

Tenha autoconhecimento. A pessoa precisa fazer um mergulho dentro de si e olhar quais são seus verdadeiros dons e talentos. Para isso, basta olhar para o passado e lembrar sobre as coisas que faziam parte das brincadeiras infantis”, destaca Karin Brigitte Guth ao destacar que é “preciso olhar e perceber que é aquilo que se gosta e que se pode colocar todas as coisas aprendidas naquilo. Caso contrário, a pessoa vive infeliz, já que passamos de oito a dez horas do dia dentro do ambiente de trabalho”, pontua.

Dicas Valiosas

Lista - “Faça uma lista daquilo que mais gosta em você. Escreva qual é o ponto positivo do seu lado negativo, sem enfatizar o que é pouco bom. Use isso como uma ponte para ressaltar as qualidades”, ensina.

Cuide de você - “Transforme ao menos meia hora do seu dia em algo prazeroso para você, seja meditação, um café com amigos, dê um telefone ou faça qualquer outra coisa com a consciência de que aquilo está sendo feito para o seu bem”, pontua.

Aqui e agora - “Coloque-se no momento presente sem se importar com outras coisas. Para exercitar isso, quando estiver dirigindo, segure o volante e fale 'estou pegando a direção'. Assim, o seu cérebro compreende o que está sendo executado”, explica.

Faça algo diferente - “Faça algo diferente todos os dias. Pode ser um banho, elogia duas ou três pessoas todos os dias e passe algo bom para as pessoas, pois tudo aquilo que é dado é recebido de volta”, finaliza Karin Brigitte Guth.

Agora, é com você. Aplique as recomendações da coach, Karin Brigitte Guth, em seu cotidiano e siga em busca de novos caminhos. Que a sua nova (ou até mesmo, velha) carreira, seja um sucesso em 2016!

Por Carla Caroline