Compartilhe

"Executiva Express": vendas diretas alavancam rendas e transformam vidas

Segundo dados da ABEVD, setor movimentou R$ 19,5 bilhões, somente no primeiro semestre de 2015


 

Novas marcas, produtos e o bom e velho catálogo. Desta forma, o segmento de vendas diretas ganha cada vez mais espaço no mercado brasileiro.

Somente nos primeiros seis meses de 2015, segundo dados da ABEVD (Associação Brasileira de Empresas de Vendas Diretas), o setor registrou R$ 19,5 bilhões em volume de negócios, o que corresponde a um crescimento de 0,7% em relação ao mesmo período do ano passado. Ao todo, são 4,5 milhões de profissionais autônomos atuantes na área.

Devido à praticidade, o momento econômico que vive o Brasil, considerado quinto País no ranking do faturamento setorial em vendas diretas, atrás dos Estados Unidos, China, Japão e Coreia, a procura pelos produtos comercializados porta a porta e, também, pelas oportunidades de negócios ofertados pelas empresas do ramo é crescente. 

De acordo com a WFDSA (World Federation of Direct Selling Associations ), nos últimos quatro anos as vendas diretas obtiveram um crescimento de 6,7%. No mercado brasileiro, o maior destaque é do setor de cosméticos e higiene pessoal, com 84,1%, seguido de produtos para o bem-estar, com 6,7%, artigos para casa e produtos duráveis (4,1%) e roupas e acessórios (3,4%).

No entanto, é fácil ter sucesso em um setor tão promissor? É bom ser bem-sucedido, ter qualidade de vida e trabalhar da maneira que deseja?

O Portal Mulher Executiva conversou com três mulheres, que atuam em famosas marcas do segmento de beleza e bem-estar - Avon, Mary Kay e Natura. Elas dividem suas trajetórias e mostram os benefícios de ser uma “Executiva Express”.

Beleza que faz sentido”

Josefa Maria de Santana Bispo, a Jacy, é daquelas pernambucanas cheias de garra, que desembarcam na Capital Paulista com a mala recheada de amor e determinação. Dos 47 anos de vida, 25 deles ela passou em São Paulo e foi aqui, que viu a sua vida mudar. E muito.

Iniciei como revendedora há 7 anos, para complementar a renda. Estava em um momento complicado financeiramente”, conta a mulher, que ao lado do marido viu suas dez lojas de conveniência (lanchonetes instaladas em postos de combustíveis) serem fechadas, uma após a outra.

Ao ver o sonho desmoronar e as dívidas crescerem, ela começou a trabalhar como faxineira e, assim, conheceu os produtos Avon. Após seis meses, a venda dos produtos por catálogo, comercializados em cerca de 100 países, se transformou em sua única atividade profissional.

Minha principal dificuldade foi conciliar as duas atividades: faxineira e revendedora. Então, em um determinado momento larguei as faxinas, peguei meu carro, o enchi de produtos e fui para as ruas. Vendia em frente as faculdades, grandes empresas, avenidas próximas a fábricas, ou seja, qualquer lugar onde houvesse grande fluxo de pessoas, principalmente, mulheres. A partir daí as coisas deslancharam”, relata Jacy, membro do grupo de 1,5 milhão de revendedoras da marca, no Brasil.

Para conquistar a clientela, ela investe em prontos a pronta entrega e em formas diferenciadas de pagamento. “Desconto para pagamento à vista, parcelamento com cartão de crédito, brindes, além de sempre ter em primeira mão os lançamentos. Isso é vital e essencial pra se ter sucesso nessa atividade”, recomenda a revendedora, que integra o grupo de representantes da empresa, cuja receita anual está próxima a US$ 9 bilhões, segundo dados globais referentes ao ano de 2014.

Qual é o segredo para se destacar na empresa, cujo slogan é “Beleza que faz sentido”? “Pra ter sucesso na atividade de revendedora é preciso querer mudar o seu cotidiano, traçar metas e ter objetivos definidos, além de ser disciplinada pessoal e financeiramente”, frisa Jacy ao recomendar: “acredite no seu potencial, veja-se como uma empresa e creia no seu negócio como algo promissor, capaz de mudar a sua vida e de te ofertar poder pra transformar tudo a sua volta”, pontua.

O Brasil é o principal mercado mundial da empresa voltada para as mulheres. Hoje, a companhia conta com 6,5 mil funcionários, sendo 62% da equipe formada por mulheres, com 54% delas em cargos do Conselho Diretivo da companhia.

Fé, família e carreira”

Sabe aquele carro rosa, que muitas vezes você vê pelas ruas? Pois bem, ele é o prêmio conquistado por uma Consultora de Beleza Independente Mary Kay, que supera suas metas e de sua equipe na de capital fechado e que faturou US$ 4 bilhões, no mundo, em 2014.

A companhia acaba de atingir 400 mil Consultoras de Beleza Independentes no Brasil e mais de 3,5 milhões em mais de 35 países, e atrai não só pelos brindes ofertados pela superação de desafios, mas pela filosofia de trabalho: “Fé em primeiro lugar, família em segundo e carreira em terceiro”.

Foi o método de desenvolvimento pessoal e profissional, que conquistou a mineira de 34 anos, Giselle Cosme. “Entrei na Mary Kay há oito anos. Me formei em Direito, em 2004 e não tinha perspectivas na minha área, me sentia limitada e desejava ser uma executiva bem-sucedida. Por isso, comecei a pensar na possibilidade de obter uma renda extra”, conta a Diretora Nacional de Vendas Independentes. 

Depois de fazer uma sessão de beleza com a diretora Marielle, ela ficou encantada com os produtos e com a possibilidade de ascensão profissional. Mesmo com vontade e o apoio do atual esposo, houve uma barreira: a resistência dos pais.

No início, não tinha carro, cartão de crédito e nem o apoio dos meus pais. E na época, meu noivo, agora marido, me deu suporte. Após três meses de vendas, pedi demissão do escritório em que atuava como advogada e decidi trabalhar, apenas com os produtos. Seis meses depois, já era Diretora de Vendas independentes. Após dois anos e nove meses, me tornei Diretora Nacional”, relata ela, que está grávida da primeira filha.

Com uma carreira formada por grandes conquistas, como viagem para Dallas, Austrália e Nova Zelândia, além de outras coisas, Giselle Cosme aposta no atendimento personalizado para fidelizar sua clientela.

Trabalho com atendimento personalizado e produtos a pronta entrega, pois a mulher é imediatista. Além do mais, quando chegamos na casa delas com o perfil de uma executiva bem-sucedida e mostramos que os itens têm qualidade, aliado a segurança e credibilidade conquistamos clientes e, também, nossa equipe”, conta.

Flexibilidade de horário, qualidade de vida e ganhos ilimitados, são atrativos para quem atua no segmento de vendas diretas. “Trabalhar você vai trabalhar em qualquer lugar. A diferença é que somos reconhecidas pelo o que desenvolvemos. Além disso, no atual momento econômico, temos excelentes profissionais em busca de oportunidades e a área da beleza é um bom espaço para quem deseja crescer, já que mesmo durante a recessão, o setor não deixa de evoluir”, diz.

A companhia trabalha com uma força de vendas independente, formada quase em sua totalidade por mulheres, mais de 90%. O plano de desenvolvimento da carreira é composto por diferentes estágios. A Consultora de Beleza pode, além de ter seus próprios clientes, construir sua equipe, desenvolver e formar novas Diretoras de Vendas Independentes e alcançar altos níveis de crescimento.

Bem estar Bem...”

Há 12 anos, Marcia Cavalheira, moradora de Osasco (SP) é consultora Natura. “Iniciei a carreira com venda direta quando perdi o emprego. Antes disso, trabalhei por anos em uma grande empresa, que faliu”, relata ela, que transformou a dificuldade para atuar na área de vendas em aprendizado.

Aos 51 anos, seu segredo de sucesso é o relacionamento interpessoal. “Procuro trabalhar bastante o relacionamento e conhecer as pessoas que estão comprando. Quando você cria uma amizade, percebe melhor as necessidades, conquista a confiança e fideliza o cliente”, enfatiza a consultora da empresa, que em 2014, teve uma receita líquida, no País, de R$ 6 bilhões. Incluindo as operações internacionais, os números somam R$ 7,4 bilhões.

Se existem vantagens em trabalhar com vendas diretas? Sim. Muitas, como a oportunidade de trabalhar com grandes marcas, ter acesso a produtos de qualidade e “o fato de as empresas promoverem diversos programas de incentivo para as consultoras, sem contar que não exige um alto investimento para iniciar o negócio”, diz.

Para quem deseja estar entre o 1,3 milhão de consultoras em todo o Brasil e quase 1,8 milhão na América Latina, Marcia Cavalheira orienta: “se você tem interesse, deve procurar saber mais e vai descobrir que é um mercado maravilhoso. Uma grande oportunidade que não exige muito investimento. Se você se dedicar, a venda direta pode se tornar uma atividade principal, com uma renda muito boa”, conclui.

A Natura conta com cerca de 500 mil consultoras em cinco países da América Latina - Argentina, Chile, Colômbia, México e Peru – e operação de venda na França. Até o final de 2014, a companhia contava com 30% de mulheres em cargos de liderança (diretoria e acima).

Com o intuito de facilitar a comercialização dos produtos, recentemente, a Natura fechou parceria com duas empresas para oferecer novos meios de pagamento e ferramentas digitais. O conjunto de serviços, batizado de Você Conect@, foi desenvolvido sob medida para a atividade de consultoria. O leitor de cartão é integrado ao celular ou tablet por meio de um aplicativo e o Chip Natura, em parceria com uma empresa de telefonia, oferece um pacote de chamadas, dados e torpedos.

 

Por Carla Caroline