Compartilhe

Transparência, amor e ousadia movimentam os primeiros dias da SPFW

A temporada de Inverno 2016 da Semana de Moda Paulistana, acontece no Pavilhão da Bienal no Parque Ibirapuera até sexta-feira (23)


 
(Fotos: Marcelo Soubhia e Zé Takahashi/ /Ag.Fotosite)
 

Teve início no dia 18 e vai até o dia 23 de outubro a 40ª edição do SPFW (São Paulo Fashion Week). A semana de moda ocupa o Pavilhão da Bienal no Parque Ibirapuera e presta homenagem a Oscar Niemeyer.

Alexandre Herchcovitch, UMA por Raquel Davidowicz, Ronaldo Fraga, Animale e Lilly Sarti levaram suas novidades para a passarela nos dois primeiros dias da Semana de Moda paulistana.

Alexandre Herchcovitch

(Foto: Marcelo Soubhia/Ag.Fotosite)

 

O estilista deu o start ao evento na tarde de domingo (18), na Prefeitura de São Paulo (SP). Em comemoração aos seus 20 anos de carreira, Alexandre Herchcovitch trouxe referências como estética dark, pegada underground e o fetichismo.

Sob o tema “Uma história de boudoir sobre amor e perda, perversão, sexo e poder”, os modelos usaram tricoline de cashmere, fitas de gorgurão, tafetá de seda, jacquard, tule elástico, cetim de seda stretch, meia malha, lã cashmere, canvas de lã, lã alpaca e crepe georgete.

Fora as peças do desfile que trouxeram, outra coisa que chamou a atenção foi a chegada dos convidados. O estilista enviou um bilhete único para seus convidados, que chegaram de Metrô, entre eles o prefeito Fernando Haddad e sua esposa Ana Estela.

UMA por Raquel Davidowicz

(Foto: Zé Takahashi/Ag.Fotosite)

 

Promovido no Prédio da Bienal no Ibirapuera, na segunda-feira (19), o desfile trouxe certa simplificação na beauty, assinada por Juliana Barbosa. Os fios certinhos foram deixados de lado, bem como os rabos de cavalo e as tranças.

Minimalista, o desfile teve como tema o comportamento dinâmico das ruas, sociedade mobile. Crepe de seda, moletons, moletons com textura emborrachada, malha suede, tafetá de seda, lãs, suede com película metalizada e couro deram beleza às peças.

Ronaldo Fraga

(Foto: Marcelo Soubhia/Ag.Fotosite)

 

Amor e nudez marcaram a apresentação de Ronaldo Fraga. As peças de seda, as tramas vermelhas, tiras, transparência, bora vermelha e bolsinha com a lateral de coração foram fundamentais no desfile do estilista que produziu peças com poemas eróticos de Hilda Hilst vazados, misturados ou não a bordados, além de um belo vestido de paetês em forma de coração.

Materiais como: Seda, algodão, bordados, passamanarias e tricôs de seda foram usados na confecção das peças.

Animale

(Foto: Zé Takahashi/Ag.Fotosite)

 

Neste ano, a grife optou, apenas, por modelos brasileiras. O desfile ocorrido no Espaço Niemeyer, teve como inspiração a natureza, a arte e a arquitetura.

Transparência, inspiradas nas camisolas e com rendas, foram os tecidos lisos como seda, em blusas de gola alta, a marca apresentou vestidos e blusas caneladas e/ou arrematadas com fitas compridas.

Calças mais curtas e vestidos retos chegaram com tudo na coleção que usou materiais 100% naturais como lã, seda, couro, pele , tricô e as rendas francesas.

Lilly Sarti

(Foto: Zé Takahashi/Ag.Fotosite)

 

Lilly Sarti encerrou os desfiles de segunda-feira com muito misticismo. A grife trouxe tudo o que suas clientes amam: longos permeados por fendas ou vazados. Calças flare, túnicas e casacos com ou sem mangas, também, estavam presentes.

Terceiro dia

Hoje (20), as atividades tiveram início às 10h30 e prosseguem até as 21h, com desfiles de Vitorino Campos, Iódice, GIG Couture, João Pimenta, PatBo e Ellus, que acontecem na Casa Jaguar, Pier 88, Sala Copan, Sala Casa das Canoas e Sala Copan, respectivamente.

Além das atividades nas passarelas, a temporada de Inverno 2016 da SPFW conta com lançamentos, sessões de autógrafos e festas badaladas.  

Por Carla Caroline